Blog Catolicismo

Seja bem-vindo ao Blog Catolicismo

Este Blog se propõe a divulgar o catolicismo segundo princípios da Igreja Católica Apostólica Romana. Os criadores do Blog, não estão autorizados a falar em nome da Igreja, não são Sacerdotes e nem donos da verdade. Buscam apenas ser humildes e anônimos missionários na Internet. É também um espaço para postagem de orações, comentários e opiniões.
Defendemos a Igreja conservadora. Acreditamos em DEUS e nos entregamos nos braços de MARIA. Que DEUS nos ilumine e proteja.

Você é o Visitante nº desde 3 janeiro 2014

Flag Counter

AdSense

Seguidores = VOCÊS são um dos motivos para continuarmos nosso humilde trabalho de Evangelização

sábado, 31 de outubro de 2009

Santo do dia - 31 de outubro


Santo Afonso Rodrigues

Diante da "galeria" de santos da Companhia de Jesus, voltamos o nosso olhar, talvez, para o mais simples e humilde dos Irmãos: Santo Afonso Rodrigues. Natural de Segóvia na Espanha, veio à luz aos 25 de julho de 1532.

Pertencente a uma família cristã, teve que interromper seus estudos no primário, pois com a morte do pai, assumiu os compromissos com o comércio. Casou-se com Maria Soares que amou tanto quanto os dois filhos, infelizmente todos, com o tempo, faleceram. Ao entrar em crise espiritual, Afonso entrega-se à oração, à penitência e dirigido por um sacerdote, descobriu o seu chamado a ser Irmão religioso e assim, assumiu grandes dificuldades como a limitação dos estudos. Vencendo tudo em Deus, Afonso foi recebido na Companhia de Jesus como Irmão e depois do noviciado foi enviado para o colégio de formação.

No colégio, desempenhou os ofícios de porteiro e a todos prestava vários serviços, e dentre as virtudes heróicas que conquistou na graça e querendo ser firme na fé, foi a obediência sua prova de verdadeira humildade. Santo Afonso sabia ser simples Irmão pois aceitava com amor toda ordem e desejo dos superiores, como expressão da vontade de Deus.

Tinha como regra: "Agradar somente a Deus, cumprir sempre e em toda parte a Vontade Divina". Este santo encantador, com sua espiritualidade ajudou a muitos, principalmente São Pedro Claver quanto ao futuro apostolado na Colômbia. Místico de muitos carismas, Santo Afonso Rodrigues, sofreu muito antes de morrer em 31 de outubro de 1617.

Santo Afonso Rodrigues, rogai por nós!

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Santo do dia - 30 de outubro

Retistuta Kafka


No dia primeiro de maio de 1894, nasceu Helene, filha de Anton e Maria Kafka, na cidade de Brno, atual República Checa. Naquele tempo, a região chamava-se Moravia, e estava sob o governo do imperador austríaco Francisco José. Em 1896, a família Kafka transferiu-se para Viena, capital do Império Austro-Húngaro.

Helene concluiu os estudos e formou-se enfermeira, com o desejo de tornar-se religiosa. No início, conformou-se com a negativa dos pais, mas, ao completar vinte anos, ingressou na Congregação das Franciscanas da Caridade Cristã, agora com a bênção da família.

Como religiosa, adotou o nome de irmã Maria Retistuta, o primeiro em homenagem a sua mãe e o segundo a uma mártir do século I.

Mas logo recebeu o apelido carinhoso de "irmã Resoluta", pelo seu modo cordial e decidido e por sua segurança e competência como enfermeira de sala cirúrgica e anestesista. No hospital de Modling, em Viena, a religiosa tornou-se uma referência para os médicos, enfermeiras e, especialmente, para os doentes, aos quais soube comunicar com lucidez o amor pela vida, na alegria e na dor.

Foram muitos anos que serviu a Deus nos doentes, para os quais estava sempre disponível. Em março de 1938, Hitler mandou o exército ocupar a Áustria. Viena tornou-se uma das bases centrais do comando nazista alemão. Irmã Restituta colocou-se logo contrária a toda aquela loucura desumana. Não teve receio de mostrar que, sendo favorável à vida, não apoiaria, jamais, o nazismo de Hitler, fosse qual fosse o preço.

Por isso, quando os nazistas retiravam o crucifixo também das salas de cirurgia, ela, serenamente, o recolocava no lugar, de cabeça erguida, desafiando os nazistas. Como não se submetia e muito menos se "dobrava", os nazistas a eliminaram. Foi presa em 1942. E ela fez da prisão uma espécie de lugar de graça, para honrar o nome de sua consagração, ou seja, Restituta, aquela que foi restituída para Deus.

Irmã Resoluta esperou cinco meses na prisão para morrer. Em 30 de março de 1943, foi decapitada. Para as franciscanas, mandou uma mensagem: "Por Cristo eu vivi, por Cristo desejo morrer". E na frente dos assassinos nazistas, antes que o carrasco levantasse a mão que a mataria, irmã Restituta disse ao capelão: "Padre, faça-me na testa o sinal da cruz".

O papa João Paulo II, em 1998, elevou irmã Maria Restituta Kafka aos altares para ser reverenciada pela Igreja como bem-aventurada. A sua festa litúrgica foi marcada para o dia 30 de outubro, data em que foi decretada a sua sentença de morte.

 Bem -Aventurada Retistuta Kafka, rogai por nós

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

29 de outubro - Santo do dia

Caetano Errico
 

A cidade de Secondigliano, grande e populosa, do norte de Nápoles, Itália, é mais conhecida como uma região de mafiosos do que de santos.

Os problemas dos seus habitantes são inúmeros, entre os quais estão as facções da máfia, a corrupção social e política que, somados, desestruturam o sistema de serviços e a consciência, propiciando a formação de gangues de todos os tipos de tráficos. Mas ela também tem boas obras. Como a de padre Caetano Errico, que fundou, em 1833, a Congregação dos "Missionários dos Sagrados Corações de Jesus e de Maria".

A estátua de padre Caetano é bem visível de qualquer ângulo da cidade. Com a mão direita, ele abençoa; com a esquerda, empunha o crucifixo. A sua figura é imponente, não apenas pela beleza plástica da escultura. Ele era, realmente, um homem grande, alto e bem forte, um gigante na santidade e na figura humana.

Em 1791, essa cidade era pequena, uma planície com muito ar puro e úmido no final da tarde, chamada de Casale Régio da Cidade de Nápoles. Foi nesse ano que Caetano Errico nasceu, no dia 19 de outubro, o segundo dos nove filhos de Pasqual, modesto fabricante de macarrão, e de Maria. Quando mostrou vocação para a vida religiosa, logo obteve apoio da família. Aos dezesseis anos, ingressou no seminário e, em 1815, recebeu a ordenação sacerdotal.

Desde então, seu apostolado foi todo feito na igreja paroquial de São Cosme e São Damião, da sua cidade natal.

Em 1818, durante a pregação, teve inspiração divina para fundar uma congregação religiosa. Iniciou, imediatamente, pela construção de uma igreja dedicada a Nossa Senhora das Dores. Entre inúmeras dificuldades, a igreja foi erguida e abençoada doze anos depois, em 1830. Mas teve de esperar outros cinco anos para adquirir a imagem de madeira de Nossa Senhora das Dores e colocá-la no altar, onde permanece até hoje.

Além do trabalho pastoral da igreja, agora Caetano se ocupava com a construção da Casa para abrigar a nova congregação de padres. Decidiu que seria dedicada em honra dos Sagrados Corações de Jesus e Maria. E nela empenhou toda a sua vida, que durou sessenta e nove anos de idade. Morreu em 29 de outubro de 1860.

Padre Caetano Errico foi homem de oração, de penitência, dedicava muito tempo ao atendimento das confissões e auxiliava materialmente, com suas obras, os marginalizados e pobres de toda a cidade e redondeza. Hoje, essa herança é distribuída através dos padres Missionários dos Sagrados Corações. Mas a memória e veneração a padre Caetano está muito presente e ainda é muito forte na população.

O culto e as graças atribuídas à sua santidade começaram quando ele ainda estava no seu leito de morte. Tanto que no interior da Casa-mãe da Congregação foi preciso instalar um museu para abrigar as doações dos elementos testemunhais dos devotos, que lembram as graças alcançadas. E é curioso como o povo não permite que a imagem do fundador seja retirada do altar, onde foi colocada, para a sua simples apresentação, quando chegou. Era para ficar no museu, mas todos a querem ver ali, ao lado de Nossa Senhora das Dores.

O papa João Paulo II proclamou bem-aventurado Caetano Errico em 2002, e designou o dia de sua morte para a homenagem litúrgica.


São Caetano Errico, rogai por nós

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Oração a São Judas Tadeu

Oração a São Judas Tadeu -
Padroeiro dos Aflitos e Patrono dos casos desesperados

São Judas Tadeu, glorioso apóstolo, fiel servo e amigo de Jesus. A Igreja vos honra e o invoca por todo o mundo como patrono dos casos desesperados e dos negócios sem remédio. Rogai por mim que estou tão desolado. Eu vos imploro a fazer uso do privilégio que tendes de trazer socorro imediato, para este que está sem socorro por completo. Assisti-me nesta grande necessidade, para que eu possa receber os consolos e o auxílio em todas minhas precisões , tribulações, e sofrimentos. São Judas Tadeu, alcançai-me graça que vos peço. (pedir a graça)

Eu vos prometo, ó benedito São Judas Tadeu de nunca esquecer deste grande favor, sempre vos louvando e honrando como meu especial e poderoso patrono, fazendo de tudo que estiver ao meu alcance para espalhar vossa devoção por toda parte.

São Judas Tadeu, rogai por nós! Amém.


Rezar 1 Pai Nosso, 3 Ave Maria e Glória ao Pai.

28 de outubro - Santo do dia

São Simão e São Judas Tadeu

Celebramos na alegria da fé os apóstolos São Simão e São Judas Tadeu. Os apóstolos foram colunas e fundamento da verdade do Reino.

São Simão:

Simão tinha o cognome de Cananeu, palavra hebraica que significa "zeloso". Nicéforo Calisto diz que Simão pregou na África e na Grã-Bretanha. São Fortunato, Bispo de Poitiers no fim do século VI, indica estarem Simão e Judas enterrados na Pérsia. Isto vem das histórias apócrifas dos apóstolos; segundo elas, foram martirizados em Suanir, na Pérsia, a mando de sacerdotes pagãos que instigaram as autoridades locais e o povo, tendo sido ambos decapitados. É o que rege o martirológio jeronimita. Outros dizem que Simão foi sepultado perto do Mar Negro; na Caucásia foi elevada em sua honra uma igreja entre o VI e o VIII séculos. Beda, pelo ano de 735, colocou os dois santos no martirológio a 28 de outubro; assim ainda hoje os celebramos. Na antiga basílica de São Pedro do Vaticano havia uma capela dos dois santos, Simão e Judas, e nela se conservava o Santíssimo Sacramento.

São Judas Tadeu:

Judas, um dos doze, era chamado também Tadeu ou Lebeu, que São Jerônimo interpreta como homem de senso prudente. Judas Tadeu foi quem, na Última Ceia, perguntou ao Senhor: "Senhor, como é possível que tenhas de te manifestar a nós e não ao mundo?" (Jo 14,22).

Temos uma epístola de Judas "irmão de Tiago", que foi classificada como uma das epístolas católicas. Parece ter em vista convertidos, e combate seitas corrompidas na doutrina e nos costumes. Começa com estas palavras: "Judas, servo de Jesus Cristo, e irmão de Tiago, aos chamados e amados por Deus Pai, e conservados para Jesus Cristo: misericórdia, paz e amor vos sejam concedidos abundantemente". Orígenes achava esta epístola "cheia de força e de graça do céu".

Segundo São Jerônimo, Judas terá pregado em Osroene (região de Edessa), sendo rei Abgar. Terá evangelizado a Mesopotâmia, segundo Nicéforo Calisto. São Paulino de Nola tinha-o como apóstolo da Líbia.

Conta-se que Nosso Senhor, em revelações particulares, teria declarado que atenderá os pedidos daqueles que, nas suas maiores aflições, recorrerem a São Judas Tadeu. Santa Brígida refere que Jesus lhe disse que recorresse a este apóstolo, pois ele lhe valeria nas suas necessidades. Tantos e tão extraordinários são os favores que São Judas Tadeu concede aos seus devotos, que se tornou conhecido em todo o mundo com o título de Patrono dos aflitos e Padroeiro das causas desesperadas. São Judas é representado segurando um machado, uma clava, uma espada ou uma alabarda, por sua morte ter ocorrido por uma dessas armas.
São Simão e São Judas Tadeu, rogai por nós!

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Igreja Universal agora possui banco

Problema do Reino de Deus
A Assessoria de Análise e Pesquisa da Procuradoria-Geral da República, em Brasília, com base os achados das ações da PF e da CPI do Banestado, descobriu mais uma esquema que lança suspeitas sobre as operações financeiras da Igreja Universal do Reino de Deus.

A turma do Bispo Edir Macedo é agora suspeita de ter usado uma casa de câmbio chamada Diskline para fazer remessas de pelo menos R$ 17,9 milhões, em valores atualizados, para uma conta bancária em Nova York.

O esquema, conhecido no passado como “dólar-cabo”, abastecia a conta da IURD no exterior, sem que o Banco Central tivesse conhecimento das operações.

A operação
Num disquete apreendido na sede da Diskline e periciado pela PF, foi achada uma tabela que descreve 24 remessas feitas pela Universal entre agosto de 1995 e fevereiro de 1996 no total de R$ 7,5 milhões, ou R$ 17,9 milhões atualizados pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor).

O dinheiro era entregue por uma pessoa identificada pelo código "Ildinha/Fé" e tinha como destino final a conta nº 365.1.007852 do antigo Chase Manhattan Bank de Nova York (EUA), adquirido no ano 2000 pelo JP Morgan, dando origem ao JPMorgan Chase & Co.

O Ministério Público alega que as operações envolvendo o nome de "Ildinha/Fé" são operações em que a diretora do Banco de Crédito Metropolitano e de empresas do grupo da Igreja Universal, Alba Maria Silva da Costa, fazia com a mesa de operação da empresa Diskline de São Paulo.

O nome "Ildinha/Fé" era uma referência à funcionária da igreja de nome Ilda, que, inicialmente, era encarregada de levar as malas de dinheiro para a empresa Diskline".

Irmão do Bispo
A Folha de São Paulo revela que outro relatório federal descreve operações da "offshore" CEC Trading Corporation, aberta em nome do irmão de Edir Macedo, Celso Macedo Bezerra, com a empresa Beacon Hill Service Corporation, fechada em 2003 pelas autoridades dos EUA sob acusação de retransmissão ilegal de fundos.

A Beacon Hill - que no Brasil deu origem à maior operação deflagrada contra doleiros, a Operação Farol da Colina - transferiu US$ 76 mil para a CEC Trading entre dezembro de 1997 e junho de 1998.

Os recursos foram transferidos por meio de uma subconta denominada "Titia", igualmente gerida por doleiros do Brasil.

No relatório da Procuradoria-Geral da República de outubro de 2005, está escrito:
“Nos contratos de câmbio recebidos do Banco Central do Brasil há a informação de que a Rádio e Televisão Record S.A. remeteu para o exterior a quantia de US$ 1,2 milhão para a CEC Trading Corporation, na mesma conta que recebeu recursos de doleiros da Beacon Hill, qual seja, a conta nº 3871339802, mantida no Barnett Bank da Flórida”.

27 de outubro - Santo do dia

São Gonçalo de Lagos

Este santo português nasceu em Lagos, no Algarve, por volta do ano de 1370.

Tomou o hábito de Santo Agostinho no convento da Graça, em Lisboa, aos 20 anos.

Dedicou-se à uma vida de jejuns e de penitências enquanto aplicava-se às letras, aos estudos.

Homem zeloso na vivência da Regra Religiosa, virtuoso e cheio de pureza, Gonçalo dedicou-se também à pregação chegando a ser superior de alguns mosteiros da sua Ordem.

O último mosteiro foi o de Torres Vedras, onde morreu em 1422, depois de exortar aos que viviam com ele no mosteiro à observância religiosa e à uma vida virtuosa.

São Gonçalo de Lagos, rogai por nós!

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

26 de outubro - Santo do dia

Santo Evaristo

No atual Anuário dos Papas encontramos Evaristo em pleno comando da Igreja católica, como quarto sucessor de Pedro, no ano 97. Era o início da era cristã, portanto é muito compreensível que haja tão poucos dados sobre ele.
Enquanto do anterior, papa Clemente, temos muitos registros, até de próprio punho, como a célebre carta endereçada aos cristãos de Corinto, do papa Evaristo nada temos escrito por ele mesmo, as poucas informações vieram de Irineu e Eusébio, dois ilustres e expressivos santos venerados no mundo católico.

Naqueles tempos, o título de "papa" era dado a toda e qualquer autoridade religiosa, passando a designar o chefe maior da Igreja somente no século VI. Por essa razão as informações, às vezes, se contradizem. Mas santo Eusébio mostra-se muito firme e seguro ao relatar Evaristo como um grego vindo da Antioquia.

Ele governou a Igreja durante nove anos, nos quais promoveu três ordenações, consagrando dezessete sacerdotes, nove diáconos e quinze bispos, destinados a diferentes paróquias.

Foi de sua autoria a divisão de Roma em vinte e cinco dioceses, a criação do primeiro Colégio dos Cardeais. Parece que também foi ele que instituiu o casamento em público, com a presença do sacerdote.

Papa Evaristo morreu em 105. Uma tradição muito antiga afirma que ele teria sido mártir da fé durante a perseguição imposta pelo imperador Trajano, e que depois seu corpo teria sido abandonado perto do túmulo do apóstolo Pedro. Embora a fonte não seja precisa, assim sua morte foi oficialmente registrada no Livro dos Papas, em Roma.

Santo Evaristo, rogai por nós

domingo, 25 de outubro de 2009

Decisão ousada de Sua Santidade Papa Bento XVI

A vez dos padres casados
Decisão do papa Bento XVI permite que os anglicanos se tornem sacerdotes católicos com esposa e filhos
Em uma manobra que foge a sua tradição secular, a Igreja Católica Apostólica Romana anunciou na semana passada que incluirá padres casados da Igreja Episcopal Anglicana em seus quadros.
"Agora, a Igreja Católica terá dois tipos de padres: os casados e os celibatários", resumiu o padre Elias Wolff, assessor da comissão episcopal para o ecumenismo e diálogo inter-religioso da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Em uma prévia do documento que detalhará as regras para a transição, chamado "Constituição Apostólica", ficou definido que a mudança será permitida apenas aos padres anglicanos e seminaristas - os bispos ficaram de fora. O sacerdote anglicano que pretender se tornar um religioso católico deverá passar por uma reciclagem doutrinária. Ao final do curso, uma prova será ministrada e os aprovados terão status idêntico ao dos padres católicos de origem, o que inclui competência para executar todos os sacramentos.

"Com a decisão, a igreja atende a uma de manda antiga dos anglicanos conservadores, conhecidos como anglocristãos", explica o padre Wolff. O grupo, avesso a modernidades desde o começo da Igreja Anglicana, cresceu e se distanciou ainda mais dos progressistas nos últimos anos, quando a instituição passou a aceitar, oficialmente, mulheres e homossexuais como bispos. Os detalhes do processo de transição ainda não estão totalmente definidos. O que se sabe é que os anglicanos que optarem pela mudança constituirão uma nova paróquia, e se espera que eles tragam fiéis da igreja antiga para ajudar a constituí-la. A influência dos sacerdotes convertidos dificilmente se estenderá para além dessa área e ele terá liberdade para manter algumas das tradições e ritos que não estejam em desacordo com a doutrina católica apostólica romana.
Para o alto escalão da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, a medida que abre as portas do Vaticano aos anglicanos conservadores não é uma surpresa. O secretário-geral da instituição, reverendo cônego Francisco de Assis da Silva, já tem até uma estimativa para o número de conversões. "Não ultrapassará os 500 mil", diz ele. Isso representa cerca de 6,5% dos 77 milhões de anglicanos espalhados pelo mundo. No Brasil, onde há 100 mil fiéis, a proporção deve ser a mesma. Em 2003, quando Gene Robinson, abertamente gay, foi nomeado bispo anglicano na Diocese de New Hampshire, nos Estados Unidos, muitos fiéis ensaiaram romper com a instituição. Nem por isso a igreja arredou pé de suas convicções. "A única coisa inquestionável entre nós é a fé", diz Assis. "Fora ela, todas as outras matérias estão abertas à discussão", afirma. A Igreja Anglicana também apoia o uso de métodos de controle de natalidade e defende as pesquisas com células-tronco. "Se os estudos têm implicações sociais positivas e levam à preservação da vida, por que não apoiálos?", questiona Assis. Os católicos, como se sabe, têm opinião contrária. E o Vaticano já antecipou que não admitirá opiniões divergentes nessas questões.

A tolerância e a abertura para o diálogo são parte da identidade da Igreja Episcopal Anglicana. Criada em 1534 pelo rei Henrique VIII, da Inglaterra, ela surgiu em plena reforma protestante, em que tudo era razão para questionamentos, e nasceu como dissidência do catolicismo romano. As razões que teriam culminado com o rompimento da Inglaterra com o Vaticano e a consequente criação da Igreja Anglicana são tão variadas quanto polêmicas. Alguns ainda defendem que a cisma aconteceu porque o rei queria anular seu casamento com a espanhola Catarina de Aragão, o que era e ainda é proibido pela Igreja Católica, e se casar com Ana Bolena, sua amante. Talvez, mas não foi só essa a motivação do monarca. Depois de romper com Roma, o rei se autointitulou líder religioso do país, confiscou propriedades da Igreja Católica nas ilhas britânicas, que não eram poucas, e suspendeu o pagamento anual de impostos da coroa inglesa ao Vaticano. Os mais tradicionais se juntaram em um grupo que acabou conhecido como os anglo-cristãos e hoje permanecem como a porção conservadora do anglicanismo. Já os progressistas assumiram uma identidade de reformistas protestantes e continuam mais abertos às mudanças. Hoje, o anglicano que rumar para a Igreja Católica, seja ele conservador ou progressista, será visto como um agente de transformação.
"Para a Igreja Católica, é interessante acolher um padre anglicano", afirma o reverendo Aldo Quintão, deão da Catedral Anglicana de São Paulo e ex-frade carmelita. Segundo ele, a maioria dos anglicanos tem formação acadêmica impecável, com passagens por seminários na Inglaterra, berço da religião, e pelos Estados Unidos. Eles elevariam o nível dos sacerdotes católicos, ainda mais numa época em que as vocações estão em baixa. "Acho até sensata a decisão de levar os anglocristãos", afirma o ex-frade. "O movimento pode ser um sinal de que Roma está aceitando a modernidade de forma enviesada." Faz sentido.
Não é todo dia que se vê um padre dando sermão a um rebanho de fiéis que pode incluir sua esposa e seus filhos. Mas, ao que tudo indica, isso pode se tornar cada vez mais comum.

25 de outubro - Santo do dia

Santo Antônio de Sant'Anna Galvão - Frei Galvão

O brasileiro Antônio de Sant'Anna Galvão nasceu em 1739, em Guaratinguetá, São Paulo. Seu pai era Antônio Galvão de França, capitão-mor da província e terciário franciscano. Sua mãe era Isabel Leite de Barros, filha de fazendeiros de Pindamonhangaba. O casal teve onze filhos. Eram cristãos caridosos, exemplares e transmitiram esse legado ao filho.

Quando tinha treze anos, Antônio foi enviado para estudar com os jesuítas, ao lado do irmão José, que já estava no Seminário de Belém, na Bahia. Desse modo, na sua alma estava plantada a semente da vocação religiosa. Aos vinte e um anos, Antônio decidiu ingressar na Ordem franciscana, no Rio de Janeiro. Sua educação no seminário tinha sido tão esmerada que, após um ano, recebeu as ordens sacerdotais, em 1762. Uma deferência especial do papa, porque ele ainda não tinha completado a idade exigida.

Em 1768, foi nomeado pregador e confessor do Convento das Recolhidas de Santa Teresa, ouvindo e aconselhando a todos. Entre suas penitentes encontrou irmã Helena Maria do Sacramento, figura que exerceu papel muito importante em sua obra posterior.

Irmã Helena era uma mulher de muita oração e de virtudes notáveis. Ela relatava suas visões ao frei Galvão. Nelas, Jesus lhe pedia que fundasse um novo Recolhimento para jovens religiosas, o que era uma tarefa difícil devido à proibição imposta pelo marquês de Pombal em sua perseguição à Ordem dos jesuítas. Apesar disso, contrariando essa lei, frei Galvão, auxiliado pela irmã Helena, fundou, em fevereiro de 1774, o Recolhimento de Nossa Senhora da Conceição da Divina Providência.

No ano seguinte, morreu irmã Helena. E os problemas com a lei de Pombal não tardaram a aparecer. O convento foi fechado, mas frei Galvão manteve-se firme na decisão, mesmo desafiando a autoridade do marquês. Finalmente, devido à pressão popular, o convento foi reaberto e o frei ficou livre para continuar sua obra. Os seguintes quatorze anos foram dedicados à construção e ampliação do convento e também de sua igreja, inaugurada em 1802. Quase um século depois, essa obra tornar-se-ia um "patrimônio cultural da humanidade", por decisão da UNESCO.

Em 1811, a pedido do bispo de São Paulo, fundou o Recolhimento de Santa Clara, em Sorocaba. Lá, permaneceu onze meses para organizar a comunidade e dirigir os trabalhos da construção da Casa. Nesse meio tempo, ele recebeu diversas nomeações, até a de guardião do Convento de São Francisco, em São Paulo.

Com a saúde enfraquecida, recebeu autorização especial para residir no Recolhimento da Luz. Durante sua última enfermidade, frei Galvão foi morar num pequeno quarto, ajudado pelas religiosas que lhe prestavam algum alívio e conforto. Ele faleceu com fama de santidade em 23 de dezembro de 1822. Frei Galvão, a pedido das religiosas e do povo, foi sepultado na igreja do Recolhimento da Luz, que ele mesmo construíra.

Depois, o Recolhimento do frei Galvão tornou-se o conhecido Mosteiro da Luz, local de constantes peregrinações dos fiéis, que pedem e agradecem graças por sua intercessão. Frei Galvão foi beatificado pelo papa João Paulo II em 25 de outubro de 1998, e canonizado em 11 de maio de 2007 pelo papa Bento XVI, em São Paulo, Brasil.

Santo Antônio de Sant'Anna Galvão, rogai por nós

sábado, 24 de outubro de 2009

24 de outubro - Santo do dia


Santo Antônio Maria Claret

O santo lembrado hoje foi de muita importância para a Igreja que guarda o testemunho de sua santidade, que mereceu a frase do Papa Pio XI que disse: "Antônio Maria Claret é uma figura verdadeiramente grande, como apóstolo infatigável".

Nasceu em 1807 em Sallent (Província de Barcelona - Espanha), ao ser batizado recebeu o nome de Antônio João, ao qual ele veio depois acrescentar o de Maria como sinal de sua especial devoção à Santíssima Virgem: "Nossa Senhora é minha Mãe, minha Madrinha, minha Mestra, meu tudo, depois de Cristo".

Antônio Maria ajudou o pai numa fábrica de tecidos até os 22 anos, quando entrou para o seminário de vida, pois almejava um sacerdócio santo e como padre desejou consagrar-se nas difíceis missões da Espanha. Ao ver a pobreza dos missionários e as portas se abrindo, Antônio Maria, com amigos, tratou de fundar a "Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria", conhecidos como Claretianos.

O Carisma era evangelizar todos os setores, por meio da caridade de Cristo que constrangia, por isso dizia: "Não posso resistir aos impulsos interiores que me chamam para salvar almas. Tenho sede de derramar o meu sangue por Cristo!" Mal tinha fundado a Congregação, o Espírito o nomeou para Arcebispo de Santiago de Cuba, onde fez de tudo, até arriscar a própria vida, para defender os oprimidos da ilha e converter a todos, conta-se que ao chegar às terras cubanas foi logo visitar e consagrar o apostolado à Nossa Senhora do Cobre.

Com os amigos o Arcebispo Santo Antônio Maria Claret, evangelizou milhares de almas, isto através de missões populares e escritos, que chegaram a 144 obras. Fundador das Religiosas de Maria Imaculada, voltou a Espanha, também tornou-se confessor e conselheiro particular da rainha Isabel II; participou do Concílio Vaticano I, e ao desviar-se de calúnias retirou-se na França onde continuou o apostolado até passar pela morte e chegar na glória em 24 de outubro de 1870.

Foi beatificado em 1934 pelo Papa Pio XI e canonizado por Pio XII em 1950. Pelo seu amor ao Imaculado Coração de Maria e pelo seu apostolado do Rosário, tem uma estátua de mármore no interior da Basílica de Fátima.

Santo Antônio Maria Claret... rogai por nós!

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

23 de outubro - Santo do dia

São João de Capistrano

João nasceu no dia 24 de junho de 1386, na cidade de Capistrano, próximo a Áquila, no então reino de Nápoles, atual Itália. Era filho de um conde alemão e uma jovem italiana. Tornou-se um cidadão de grande influência em Perugia, cidade onde estudou direito civil e canônico, formando-se com honra ao mérito. Lá se casou com a filha de outro importante membro da comunidade e foi governador da cidade, quando iniciava a revolta contra a dominação do rei de Nápoles. Como João de Capistrano era muito respeitado e julgava ter amigos entre adversários, aceitou a tarefa de tentar um diálogo com o rei. Mas estava enganado, pois, além de não acreditarem nas suas propostas, de paz eles o prenderam. Ao mesmo tempo, recebeu a notícia da morte de sua esposa. João tinha trinta e nove anos de idade.

Nessa ocasião tomou a decisão mais importante de sua vida. Abriu mão de todos os cargos, vendeu todos os bens e propriedades, pagou o resgate de sua liberdade e pediu ingresso num convento franciscano. Mas também ali encontrou a desconfiança do seu propósito. O superior, antes de permitir que ele vestisse o hábito, o submeteu a muitas humilhações, para provar sua determinação. Aprovado, apenas um ano depois era considerado um dos mais respeitados religiosos do convento. Aliás, Ordem que ele próprio colaborou para reformar.

Desde então sua vida foi somente dedicada ao espírito. Durante trinta anos fez rigoroso jejum, duras penitências e se dedicou às orações. Trabalhou com energia, evangelizando na Itália, França, Alemanha, Áustria, Hungria, Polônia e Rússia. Tornou-se grande pregador e os registros mostram, que, após sua pregação, muitos jovens decidiam entrar na Ordem de São Francisco de Assis. Foi conselheiro de quatro papas. Idoso, defendeu a Itália numa guerra que ajudou a vencer. A famosa batalha de Belgrado, contra os invasores turcos muçulmanos.

João de Capistrano contava setenta anos de idade, quando um enorme exército ameaçava tomar toda a Europa, pois já dominava mais de duzentas cidades. O papa Calisto III o designou como pregador de uma cruzada, que defenderia o continente. Com ele à frente, os cristãos tiveram de combater um exército dez vezes maior. A guerra já estava quase perdida e os soldados estavam a ponto de desfalecer, quando surgiu João animando a todos, percorrendo as fileiras e mantendo-os estimulados na fé em Cristo. Agiu assim durante onze dias e onze noites sem cessar. Espantados com a atitude de João, os guerreiros muçulmanos apavoraram-se, o exército se desorganizou e os soldados cristãos dominaram o campo de batalha até a vitória final.

Vitória que, embora preferisse manter o anonimato, foi atribuída a João de Capistrano. Depois disso, retirou-se para o Convento de Villach, na Áustria, onde morreu três meses depois, no dia 23 de outubro de 1456. O seu culto se mantém vivo até os nossos dias, sendo celebrado no dia de sua morte tanto no Oriente e como no Ocidente.

Foi canonizado em 1724 pelo papa Bento XIII. João de Capistrano é o padroeiro dos juízes.

São João de Capistrano, rogai por nós

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Os sete dons do Espírito Santo

Estes dons são graças de Deus e, só com nosso esforço, não podemos fazer com que cresçam e se desenvolvam. Necessitam de uma ação direta do Espírito Santo para podermos atuar dentro da virtude e perfeição cristã.

No Espírito Santo, Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, reside o Amor Supremo entre o Pai e o Filho. Foi pelo Divino Espírito Santo que Deus se encarnou no seio de Maria Santíssima, trazendo Jesus ao mundo para nossa salvação. Peçamos à Maria, esposa do Espírito Santo, que interceda por nós junto a Deus concedendo-nos a graça de recebermos os divinos dons, apesar de nossa indignidade, de nossa miséria. Nas Escrituras, o próprio Jesus quem nos recomenda: "Pedi e se vos dará. Buscai e achareis. Batei e vos será aberto" (Mt VII, 7s).

1. Fortaleza - Por essa virtude, Deus nos propicia a coragem necessária para enfrentarmos as tentações, vulnerabilidade diante das circunstâncias da vida e também firmeza de caráter nas perseguições e tribulações causadas por nosso testemunho cristão. Lembremo-nos que foi com muita coragem, com muito heroísmo, que os santos desprezaram as promessas, as blandícias e ameaças do mundo. Destes, muitos testemunharam a fé com o sacrifício da própria vida. O Espírito Santo lhes imprimiu o dom da Fortaleza e só isto explica a serenidade com que encontraram a morte! Que luta gloriosa não sustentaram! Agora gozam de perfeita paz, em união íntima com Jesus, de cuja glória participam. Também nós, havemos de combater diariamente para alcançar a coroa eterna. Vivemos num mundo cheio de perigos e tentações. A alma acha-se constantemente envolta nas tempestades de paixões revoltadas. Maus exemplos pululam e as inclinações do coração constantemente dirigem-se para o mal. Resistir a tudo isto requer em primeiro lugar muita oração, força de vontade e combate resoluto. Por esta virtude, a alma se fortalece para praticar toda a classe de atos heróicos, com invencível confiança em superar os maiores perigos e dificuldades com que nos deparamos diariamente. Nos ajuda a não cair nas tentações e ciladas do demônio.

2. Sabedoria - O sentido da sabedoria humana reside no reconhecimento da sabedoria eterna de Deus, Criador de todas as coisas que distribui seus dons conforme seus desígnios. Para alcançarmos a vida eterna devemos nos aliar a uma vida santa, de perfeito acordo com os mandamentos da lei de Deus e da Igreja. Nisto reside a verdadeira sabedoria que, como os demais, não é um dom que brota de baixo para cima, jamais será alcançada por esforço próprio. É um dom que vem do alto e flui através do Espírito Santo que rege a Igreja de Deus sobre a terra. Nos permite entender, experimentar e saborear as coisas divinas, para poder julgá-las retamente.

3. Ciência - Nos torna capazes de aperfeiçoar a inteligência, onde as verdades reveladas e as ciências humanas perdem a sua inerente complexibilidade. Nossas habilidades com as coisas acentuam-se progressivamente em determinadas áreas, conforme nossas inclinações culturais e científicas, sempre segundo os desígnios divinos, mesmo que não nos apercebamos disso. Todo o saber vem de Deus. Se temos talentos, deles não nos devemos orgulhar, porque de Deus é que os recebemos. Se o mundo nos admira, bate aplausos aos nossos trabalhos, a Deus é que pertence esta glória, a Deus, que é o doador de todos os bens.

4. Conselho - Permite à alma o reto discernimento e santas atitudes em determinadas circunstâncias. Nos ajuda a sermos bons conselheiros, guiando o irmão pelo caminho do bem. Hoje, mais do que nunca está em foco a educação da mocidade e todos reconhecem também a importância do ensino para a perfeita formação da criança. As dificuldades internas e externas, materiais e morais, muitas vezes passam pelo dom do Conselho, sem disto nos apercebermos. É uma responsabilidade, portanto, cumprir a vontade de Deus que destinou o homem para fins superiores, para a santidade. Para que possamos auxiliar o próximo com pureza e sinceridade de coração, devemos pedir a Deus este precioso dom, com o qual O glorificaremos aos mostrarmos ao irmão as lições temporais que levam ao caminho da salvação. É sob a influência deste ideal que a mãe ensina o filhinho a rezar, a praticar os primeiros atos das virtudes cristãs, da caridade, da obediência, da penitência, do amor ao próximo.

5. Entendimento - Torna nossa inteligência capaz de entender intuitivamente as verdades reveladas e naturais, de acordo com o fim sobrenatural que possuem. A aparente correlação não significa que quem possui a sabedoria, já traga consigo o entendimento por conseqüência (ou vice-versa). Existe uma clara distinção entre um e o outro. Para exemplificar: Há fiéis que entendem as contemplações do terço, mas o rezam por obrigação ou mecanicamente (Possuem o dom do entendimento). Há outros que, por sua simplicidade, nunca procuraram entender o seu significado, mas praticam sua reza com sabor, devoção e piedade, ignorando seu vasto sentido (possuem o dom da Sabedoria). Este exemplo, logicamente, se aplica às ciências naturais e divinas, logo ao nosso dia-a-dia. Não sendo um conseqüencia do outro, são distintamente preciosos e complementam-se mutuamente, nos fazem aproximar de Deus com todas as nossas forças, com toda a nossa devoção e inteligência e sensível percepção das coisas terrenas, que devem estar sempre direcionadas às coisas celestes.

6. Piedade - É uma graça de Deus na alma que proporciona salutares frutos de oração e práticas de piedade ensinadas pela Santa Igreja. Nos dias de hoje, considerando a população mundial, há poucas, muito poucas pessoas que acham prazer em serem devotas e piedosas; as poucas que o são, tornam-se geralmente alvo de desprezo ou escárneo de pessoas que tem outra compreensão da vida. Realmente, é grande a diferença que há entre um e outro modo de viver. Resta saber qual dos dois satisfaz mais à alma, qual dos dois mais consolo lhe dá na hora da morte, qual dos dois mais agrada a Deus. Não é difícil acertar a solução do problema. Num mundo materialista e distante de Deus, peçamos a graça da piedade, para que sejamos fervorosos no cumprimento das escrituras.

7. Temor de Deus - Teme a Deus quem procura praticar os seus mandamentos com sinceridade de coração. Como nos diz as Escritura, devemos buscar em primeiro lugar o reino de Deus, e o resto nos será dado por acréscimo. O mundo muitas vezes sufoca e obscurece o coração. Todas as vezes que transigências fizemos às tentações, com certeza desprezamos a Deus Nosso Senhor. Quantas vezes preferimos a causa dos bens miseráveis deste mundo e esquecemo-nos de Deus! Quantas vezes tememos mais a justiça dos homens do que a justiça de Deus! Santo Anastácio a este respeito dizia: "A quem devo temer mais, a um homem mortal ou a Deus, por quem foram criadas todas as coisas?". Não esqueçamos, portanto, de pedir ao Deus Espírito Santo a graça de estarmos em sintonia diária com os preceitos do Criador. Por este divino dom, torna-se Deus a pessoa mais importante em nossa vida, onde a alma docemente afasta-se do erro pelo temor em ofendê-Lo com nossos pecados.

Igreja Universal deverá indenizar idosa que se machucou após esbarrar em “entidade”

A Igreja Universal do Reino de Deus foi condenada a pagar R$ 8 mil de indenização à aposentada Maria Cândida Mides, 79 anos, moradora de Patos de Minas/MG. De acordo com o processo, no dia 30 de setembro de 2005, durante um culto religioso, o pastor pediu à mulher que caminhasse sobre uma pista de sal, para resolver os problemas financeiros e de saúde. No entanto, quando ela começou a caminhada, esbarrou bruscamente em pessoa que, segundo os pregadores da igreja, estaria “possuída por uma entidade”. Na queda, resultante do choque, a aposentada quebrou o braço e o quadril.

Em depoimento à 1ª Vara Cível de Patos de Minas, a idosa disse que, após as fraturas, passou a andar com dificuldade. “O acidente se deu nas dependências da igreja, para onde fui esperando receber uma bênção. É evidente que ela faltou com sua responsabilidade de guarda e vigilância, mostrando falta de atenção, de cuidado e de cautela para com os fiéis”, protestou.

Maria Cândida contou que a perda da mobilidade, a humilhação provocada pelo incidente e o descaso com que foi tratada pelos pastores e obreiros levaram-na a um quadro de depressão. Em defesa, a Igreja Universal negou a falta de cuidado e pediu que o processo fosse julgado improcedente, uma vez que a atividade desenvolvida na instituição “consiste unicamente na pregação religiosa e não tem fins lucrativos”.

Recurso
O juiz José Humberto da Silveira, da 1ª Vara Cível de Patos de Minas, já havia condenado a Igreja Universal por negligência em fevereiro deste ano. No entanto, a instituição religiosa recorreu, alegando que a aposentada era a única responsável pelo acidente, porque se “deslocou sozinha para o meio de um salão abarrotado de gente”. Para a igreja, o incidente foi um “fato imprevisível causado por terceiro”.

O recurso foi negado nesta terça-feira (20/10) pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais. “A liberdade de fé e crença é garantida por lei. Mas a Igreja Universal do Reino de Deus tem o dever de proteger todos os fiéis que desejam manifestar sua crença, bem como evitar que uma pessoa, por ato inconsciente de fé, atinja outra em suas instalações”, sentenciou o desembargador Tibúrcio Marques. Além da indenização por danos morais, Maria Cândida deverá receber uma reparação de R$ 775,34, relativos às despesas com remédios e exames médicos.

22 de outubro - Santo do dia

São Donato

Donato, filho de nobres cristão, nasceu na Irlanda nos últimos anos do século VIII. Desde criança foi educado na fé católica. Iniciou os estudos religiosos e, devido ao rápido e bom progresso, desejou aperfeiçoar-se. Mais tarde, abandonou a família e a pátria, seguindo em peregrinação por várias regiões até chegar em Roma, onde se tornou sacerdote em 816.

Na volta para a Irlanda, parou na cidade de Fiesole, quando o clero e a população procuravam eleger um novo bispo. Movidos pela divina inspiração, decidiram escolher aquele desconhecido peregrino. A tradição conta que, quando Donato entrou na igreja, os sinos tocaram e os círios acenderam-se, sem que alguém tivesse contribuído para isso. No início, relutou em aceitar, mas depois se dobrou ao desejo de todos. Era o ano 829. Existem muitos registros sobre o seu governo pastoral em Fiesole, que durou cerca de quarenta anos.

Combateu com sucesso os usurpadores dos bens da Igreja. Em 866, viajou para encontrar-se com o imperador Lotário II, e conseguiu confirmar as doações dos bens concedidos pelo seu predecessor, Alexandre, e outros vários direitos. Teve uma boa relação com os soberanos daquela época, os quais acompanhava nas empreitadas e nas viagens. Escritos relatam que Donato foi professor, trabalhou para os reis franceses, participou de expedições com os imperadores italianos e chefiou uma campanha contra os invasores árabes muçulmanos na Itália meridional.

Em 850, o bispo Donato esteve em Roma, participando da coroação do imperador Ludovico, feita pelo papa Leão IV. Naquela ocasião, foi convidado a participar, junto com o pontífice e o imperador, do julgamento de uma velha questão pendente entre os bispos de Arezzo e de Siena, resolvida a favor do último.

Era um sacerdote muito instruído, sábio e prudente, por isso se preocupou com a instrução do clero e da juventude. Escreveu diversas obras, das quais restou apenas um epitáfio, ditado para o seu jazigo, valoroso pelas informações autobiográficas; um credo poético, que recitou antes de morrer, e a "Lauda de Santa Brígida", padroeira da Irlanda.

Pensando nos peregrinos, principalmente nos irlandeses, com recursos próprios Donato construiu naquela diocese a igreja de Santa Brígida, o hospital e um albergue, todos ricamente decorados e bem aparelhados. Depois, em 850, doou tudo para a abadia fundada por são Columbano de Bobbio.

Morreu em 877, na cidade de Fiesole, Itália. As suas relíquias foram sepultadas na antiga catedral, dedicada a são Rômulo, onde ficaram até o final de 1017, quando foram transferidas para a nova catedral, em uma capela a ele dedicada. A Igreja declarou-o santo e celebra-o no dia 22 de outubro. A festa de são Donato espalhou-se por todo o mundo cristão, mas principalmente na Irlanda ele é muito homenageado.

São Donato, rogai por nós

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Vaticano aceita ordenar padres anglicanos casados como sacerdotes católicos

Vaticano aprova norma especial para acolher anglicanos

Mudanças autorizam a ordenação de clérigos casados anglicanos como sacerdotes católicos

O Vaticano anunciou nesta terça-feira (20) a disposição em acolher na Igreja Católica os anglicanos e para isso aprovou uma Constituição Apostólica que contempla a concessão de uma divisão pessoal, similar ao Opus Dei e ao Ordinariatos Militares. Com isso, os anglicanos podem ser aceitos na Igreja Católica, mantendo uma identidade religiosa distinta.

A norma de máxima categoria prevê a ordenação de clérigos casados anglicanos como sacerdotes católicos, embora não a de homens casados como bispos, alinhado à tradição católica e ortodoxa.

O anúncio foi feito pelo cardeal William Joseph Levada, prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, e o arcebispo Joseph Di Noia, secretário da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.

LÍDERES
O arcebispo de Cantuária, Rowan Williams, líder da Igreja Anglicana, e o papa Bento XVI, em foto de arquivo de 2006

Levada informou que, com essa Constituição Apostólica, a Igreja Católica Apostólica Romana responde aos inúmeros pedidos feitos à Santa Sé por grupos anglicanos de diferentes países que desejam entrar em plena e visível comunhão com a Igreja Católica.

Com esse objetivo, o papa Bento XVI aprovou uma estrutura canônica que prevê a criação de ordinariatos pessoais, ou seja, que as comunidades anglicanas que entrem na Igreja Católica dependam de um bispo particular e não do diocesano, como ocorre com o Opus Dei. Dessa maneira, o chefe da diocese poderá ser um sacerdote ou um bispo não casado.

Assim, as comunidades anglicanas conservarão seu patrimônio espiritual e litúrgico anglicano.

Os ordinariatos pessoais serão criados conforme as necessidades.

O cardeal encarregado da defesa da ortodoxia da fé católica detalhou que a medida do Vaticano está alinhada ao compromisso para o diálogo ecumênico. "A iniciativa é consequência do desejo de vários grupos de anglicanos de compartilhar a fé católica. Por isso, chegou o tempo de expressar essa união implícita de uma forma visível de plena comunhão", acrescentou Levada.

21 de outubro - Santo do dia


Santa Úrsula

Úrsula nasceu no ano 362, filha dos reis da Cornúbia, na Inglaterra. A fama de sua beleza se espalhou e ela passou a ser desejada por vários pretendentes (embora Úrsula tenha feito um voto secreto de consagração total a Deus). Seu pai acabou aceitando a proposta de casamento feita pelo duque Conanus, um general de exército pagão, seu aliado.

Úrsula fora educada nos princípios cristãos. Por isso ficou muito triste ao saber que seu pretendente era pagão. Quis recusar a proposta mas, conforme costume da época, deveria acatar a decisão de seu pai. Pediu, então, um período de três anos para se preparar. Ela esperava converter o general Conanus durante esse tempo, ou então, encontrar um meio de evitar o casamento. Mas não conseguiu nem uma coisa, nem outra.

Conforme o combinado, ela partiu para as núpcias, viajando de navio, acompanhada de onze jovens, virgens como ela, que iriam se casar com onze soldados do duque Conanus. Há lendas e tradições que falam em onze mil virgens, ao invés de onze apenas. Mas outros escritos da época e pesquisas arqueológicas revelaram que foram mesmo onze meninas.

Foram navegando pelo rio Reno e chegaram a Colônia, na Alemanha. A cidade havia sido tomada pelo exército de Átila, rei dos hunos. Eles mataram toda a comitiva, sobrando apenas Úrsula, cuja beleza deixou encantado ao próprio Átila. Ele tentou seduzi-la e lhe propôs casamento. Ela recusou, dizendo que já era esposa do mais poderoso de todos os reis da Terra, Jesus Cristo. Átila, enfurecido, degolou pessoalmente a jovem, no dia 21 de outubro de 383. Em Colônia, uma igreja guarda o túmulo de Santa Úrsula e suas companheiras.

Durante a Idade Média, a italiana Ângela de Mérici, fundou a Companhia de Santa Úrsula, com o objetivo de dar formação cristã a meninas. Seu projeto foi que essas futuras mamães seriam multiplicadoras do Evangelho, catequizando seus próprios filhos. Foi um avanço, tendo em vista que nesta época a preocupação com a educação era voltada apenas para os homens. Segundo a fundadora, o nome da ordem surgiu de uma visão que ela teve.

Santa Úrsula, rogai por nós

terça-feira, 20 de outubro de 2009

20 de outubro - Santo do dia


Santa Maria Bertilla Boscardin

Uma simples camponesa pôde demonstrar, com suas atitudes diárias, que mesmo sem êxtases, sem milagres, sem grandes feitos, o ser humano traz em si a santidade e a marca de Deus em sua vida. Se vivermos com pureza e fé, a graça divina vai manifestar-se em cada detalhe da nossa vida.

A prova disso foi a beatificação de irmã Maria Bertilla pelo papa Pio XII, em 1952, quando ele disse: "É uma humilde camponesa". Maria nasceu em 6 de outubro de 1888, na cidade de Vicenza, na Itália, e recebeu o nome de Ana Francisca no batismo. Os pais eram simples camponeses e sua infância transcorreu entre o estudo e os trabalhos do campo, rotina natural dos filhos e das filhas de agricultores dessa época.

Aos dezessete anos, mudou o modo de encarar a vida e ingressou no Convento das irmãs Mestras de Santa Dorotéia dos Sagrados Corações, quando adotou o nome de Maria Bertilla. Paralelamente, estudou e diplomou-se como enfermeira, de modo que pôde tratar os doentes com ciência e fé, assistindo-os com carinho de irmã e mãe.

Teve uma existência de união com Deus no silêncio, no trabalho, na oração e na obediência. Isso se refletia na caridade com que se relacionava com todos: doentes, médicos e superiores. Mas era submetida a constantes humilhações por parte de uma superiora.

Depois, foi enviada para trabalhar no hospital de Treviso, mais ao norte do país. Tinha apenas vinte e dois anos de idade quando, além de enfrentar a doença no próximo, teve que enfrentá-la em si mesma também. Logo foi operada de um tumor e, antes que pudesse recuperar-se totalmente, já estava aos pés dos seus doentes outra vez. As humilhações pessoais continuavam, agora associadas às dores físicas.

Na época, estourou a Primeira Guerra Mundial: a cidade de Treviso ocupava uma posição militar estratégica, estando mais sujeita a bombardeios. Era uma situação que exigia dedicação em dobro de todos no hospital. Irmã Maria Bertilla surpreendeu com sua incansável disposição e solidariedade de religiosa e enfermeira no tratamento dos feridos de guerra.

Porém seu mal se agravou e, aos trinta e quatro anos, sofreu a segunda cirurgia, mas não resistiu e morreu, no dia 20 de outubro de 1922, no hospital de Treviso.

O papa João XXIII canonizou-a em 1961. O culto em sua homenagem ocorre no dia de sua morte. Junto à sua sepultura, na Casa-mãe da Congregação em Vicenza, há sempre alguém rezando porque precisa da santa enfermeira para tratar de males diversos, e a ajuda, pela graça de Deus, sempre chega.

Santa Maria Bertilla Boscardin, rogai por nós

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

19 de outubro - Santo do dia

São Paulo da Cruz

Nasceu em Ovada (Itália) em 1694, de piedosos pais, que muito educaram o filho no Cristianismo. Foi o segundo de 16 filhos. Quando jovem de oração e contemplativo, fez uma aliança com colegas, a fim de meditarem a Paixão e morte de Jesus.

De início, trabalhou com o pai e não sentia o chamado ao sacerdócio, mas, ao apostolado. Aos 19 anos, ouvido uma exortação do pároco, sentiu-se profundamente comovido e resolveu entregar-se inteiramente ao serviço de Deus. Assim, partilhou com um Bispo, o impulso de propagar a devoção à Paixão e morte daquele que morreu por amor à humanidade e salvação de cada um.

Enviado pelo Bispo, tornou-se instrumento de conversão para milhares, até que o Bispo ordenou-o sacerdote e, mais tarde, o Papa deu a licença para aceitar candidatos em seu Noviciado.

Nasceu desta maneira a Congregação dos Padres Passionistas, com a finalidade de firmar nos corações dos fiéis um grande amor à Paixão e morte de Nosso Senhor, através das missões populares. Além da Congregação dos Passionistas, fundou também um instituto feminino de estrita clausura: as Irmãs Passionistas.

Profundo devoto da Sagrada Paixão, o fundador São Paulo da Cruz desde que começou o apostolado sozinho não abandonou o hábito preto, a cruz branca e as duras penitências, como se alimentar de pão e água e dormir no chão. Depois de muito evangelizar (também através de seus muitos escritos) e alcançar milagres para o povo, associou-se à Cruz e à Nossa Senhora das Dores, para entrar como vitorioso no Céu em 1775, somando 81 anos de idade. O Papa Pio IX canonizou-o em 1867. O seu corpo venera-se na basílica dos santos João e Paulo.

São Paulo da Cruz... rogai por nós!

domingo, 18 de outubro de 2009

18 de outubro - Santo do dia


São Lucas

Lucas é um dos quatro evangelistas. O seu Evangelho é reconhecido como o do amor e da misericórdia. Foi escrito sob o signo da fé, nos tempos em que isso podia custar a própria vida. Mas falou em nascimento e ressurreição, perdão e conversão, na salvação de toda a humanidade. Além do terceiro evangelho, escreveu os Atos dos Apóstolos, onde registrou o desenvolvimento da Igreja na comunidade primitiva, relatando os acontecimentos de Jerusalém, Antioquia e Damasco, deixando-nos o testemunho do Cristo da bondade, da doçura e da paz.

Lucas nasceu na Antioquia, Síria. Era médico e pintor, muito culto, e foi convertido e batizado por são Paulo. No ano 43, já viajava ao lado do apóstolo, sendo considerado seu filho espiritual. Escreveu o seu Evangelho em grego puro, quando são Paulo quis pregar a Boa-Nova aos povos que falavam aquele idioma. Os dois sabiam que mostrar-lhes o caminho na própria língua facilitaria a missão apostólica. Assim, através de seus escritos, Lucas tornou-se o relator do nascimento de Jesus, o principal biógrafo da Virgem Maria e o primeiro a expressá-la através da pintura.

Quando das prisões de são Paulo, Lucas acompanhou o mestre, tanto no cárcere como nas audiências. Presença que o confortou nas masmorras e deu-lhe ânimo no enfrentamento do tribunal do imperador. Na segunda e derradeira vez, Paulo escreveu a Timóteo que agora todos o haviam abandonado. Menos um. "Só Lucas está comigo" E essa foi a última notícia certa do evangelista.

A tradição cristã diz-nos que depois do martírio de são Paulo o discípulo, médico e amigo Lucas continuou a pregação. Ele teria seguido pela Itália, Gálias, Dalmácia e Macedônia. E um documento traduzido por são Jerônimo trouxe a informação que o evangelista teria vivido até os oitenta e quatro anos de idade. A sua morte pelo martírio em Patras, na Grécia, foi apenas um legado dessa antiga tradição.

Todavia, por sua participação nos primeiros tempos, ao lado dos apóstolos escolhidos por Jesus, somada à vida de missionário, escritor, médico e pintor, transformou-se num dos pilares da Igreja. Na suas obras, Lucas dirigia-se a um certo Teófilo, amigo de Deus, que tanto poderia ser um discípulo como uma comunidade, ou todo aquele que entrava em contato com a mensagem da Boa-Nova através dessa leitura. Com tal recurso literário, tornou seu Evangelho uma porta de entrada à salvação para todos os povos, concedendo o compartilhamento do Reino de Deus por todas as pessoas que antes eram excluídas pela antiga lei.
São Lucas, rogai por nós

sábado, 17 de outubro de 2009

Aborto tem que ser combatido em todo o mundo

Manifestação antiaborto reúne mais de 1 milhão em Madri

Mais de 1 milhão de pessoas participaram neste sábado em Madri de uma manifestação convocada pela Igreja Católica para protestar contra a nova lei do aborto da Espanha, que torna mais fácil interromper a gravidez indesejada.

A antiga lei espanhola somente permitia a interrupção da gravidez em circunstâncias específicas, mas o governo do premiê socialista José Luís Rodríguez Zapatero quer liberalizar as exigências.

Vários partidos de centro-direita da oposição participaram da manifestação.

A discussão sobre a nova lei do aborto é a última das polêmicas sobre questões éticas que opõem a direita católica e o atual governo, que já legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo e facilitou o divórcio.

Nova lei

A nova lei, aprovada no fim de setembro, prevê que qualquer mulher possa terminar uma gravidez indesejada até as 14 semanas de gestação.

Adolescentes de 16 anos e 17 anos poderão se submeter a abortos sem a exigência da aprovação por escrito dos pais.

Também acaba a penalização criminal para as mulheres que abortem fora dos prazos permitidos. A lei anterior previa multa e pena de seis meses a um ano de prisão.

A nova lei permite ainda que as farmácias vendam sem receita a pílula do dia seguinte, que pode ser tomada até 72 horas depois da relação sexual e serve para impedir gestações indesejadas.

A antiga lei do aborto, de 1985, era semelhante à atual lei brasileira, e permitia a terminação da gestação apenas em casos de estupro, riscos para a mãe ou em casos de anormalidade fetal.

Direitos das mulheres

Mesmo com essas restrições, foram realizados 112 mil abortos legais na Espanha em 2007, em sua maioria justificadas pelos potenciais riscos físicos ou psicológicos às mães.

O governo espanhol argumenta que a nova lei garante o respeito e os direitos das mulheres, e que qualquer pessoa que queira interromper uma gestação receberá primeiro informações sobre as alternativas, incluindo a ajuda do Estado às novas mães.

O governo também argumenta que a nova lei aumentará a segurança das mulheres, garantindo que o aborto seja realizado no período correto.

Segundo o correspondente da BBC em Madri, Steve Kingstone, nos últimos anos alguns casos de médicos que terminaram gestações de até oito meses sob a justificativa de que as mães corriam riscos à saúde mental chocaram a opinião pública espanhola.

Para mais notícias, visite o site da BBC Brasil

17 de outubro - Santo do dia

Santo Inácio de Antioquia

No centro do Coliseu romano, o bispo cristão aguarda ser trucidado pelas feras, enquanto a multidão exulta em gritos de prazer com o espetáculo sangrento que vai começar. Por sua vez, no estádio, cristãos incógnitos, misturados entre os pagãos, esperam, horrorizados, que um milagre salve o religioso. Os leões estão famintos e excitados com o sangue já derramado na arena. O bispo Inácio de Antioquia, sereno, esperava sua hora pronunciando com fervor o nome do Cristo.

Foi graças a Inácio que as palavras cristianismo e Igreja Católica surgiram. Era o início dos tempos que mudaram o mundo, próximo do ano 35 da era cristã, quando ele nasceu. Segundo os estudiosos, não era judeu e teria sido convertido pela primeira geração de cristãos, os apóstolos escolhidos pelo próprio Jesus. Cresceu e foi educado entre eles, depois sucedeu Pedro no posto de bispo de Antioquia, na Síria, considerada a terceira cidade mais importante do Império Romano, depois de Roma e Alexandria, no Egito. Gostava de ser chamado Inácio Nurono. Inácio deriva do grego "ignis", fogo, e Nurono era nome que ele mesmo dera a si, significando "o portador Deus". Desse modo viveu toda a sua vida: portador de Deus que incendiava a fé.

Mas sua atuação logo chamou a atenção do imperador Trajano, que decretou sua prisão e ordenou sua morte. Como cristão, deveria ser devorado pelas feras para diversão do povo ávido de sangue. O palco seria o recém-construído Coliseu.

A viagem de Inácio, acorrentado, de Antioquia até Roma, por terra e mar, foi o apogeu de sua vida e de sua fé. Feliz por poder ser imolado em nome do Salvador da humanidade, pregou por todos os lugares por onde passou, até no local do martírio. Sua prisão e condenação à morte atraiu todos os bispos, clérigos e cristãos em geral, de todas as terras que atravessou. Multidões juntavam-se para ouvir suas palavras. Durante a viagem final, escreveu sete cartas que figuram entre os escritos mais notáveis da Igreja, concorrendo em importância com as do apóstolo Paulo. Em todas faz profissão de sua fé, e contêm ensinamentos e orientações até hoje adotados e seguidos pelos católicos, como ele tão bem nomeou os seguidores de Jesus.

Numa dessas cartas, estava o seu especial pedido: "Deixai-me ser alimento das feras. Sou trigo de Deus. É necessário que eu seja triturado pelos dentes dos leões para tornar-me um pão digno de Cristo". Fazia-o sabendo que muitos de seus companheiros poderiam influenciar e conseguir seu perdão junto ao imperador. Queria que o deixassem ser martirizado. Sabia que seu sangue frutificaria em novas conversões e que seu exemplo tocaria o coração dos que, mesmo já convertidos, ainda temiam assumir e propagar sua religião.

Em Roma, uma festa que duraria cento e vinte dias tinha prosseguimento. Mais de dez mil gladiadores dariam sua vida como diversão popular naquela comemoração pela vitória em uma batalha. Chegada a vez de Inácio, seus seguidores e discípulos esperavam, ainda, o milagre.

Que não viria, porque assim desejava o bispo mártir. Era o dia 17 de outubro de 107, sua trajetória terrena entrava para a história da humanidade e da Igreja.

Santo Inácio de Antioquia, rogai por nós

Novena a Santa Edwiges

Oração a Santa Edwiges

Padroeira dos Endividados e protetora das famílias


Oh! DEUS que ensinastes a Bem-aventurada Santa Edwirges a passar de todo o coração das pompas do século para o caminho humilde de Vossa Cruz, concedei-nos pelos seus méritos e exemplos que aprendamos calcar aos pés as delícias efêmeras do mundo e abraçados a Vossa Cruz vencermos as adversidades que nos sobrevierem, Vós que viveis e reinais com Deus Pai em unidade com o Espírito Santo. Amém

SÚPLICA

Santa Edwiges, vinde em nosso auxílio;

Santa Edwiges, farol da fé cristã, rochedo da santidade, espelho do amor divino, vinde em nosso auxílio;

Santa Edwiges, ardente discípula de Cristo, humilde serva de nosso Senhor, modelo do amor a cruz, vinde em nosso auxílio;

Santa Edwiges, modelo das mães cristãs, guarda do sagrado matrimônio, flor da Santa Igreja, vinde em nosso auxílio;

Santa Edwiges, bondosa mãe dos pobres, auxílio dos doentes, refúgio dos oprimidos, vinde em nosso auxílio.

Santa Edwiges, Vós que fostes na terra amparo dos pobres e desvalidos, socorro dos endividados, no céu onde gozais o eterno prêmio da caridade que praticaste, confiante Vos peço sede minha advogada para que de DEUS eu obtenha a graça (pedir a graça)Amém.

Reza-se um Pai Nosso, uma Ave Maria e um Glória.

Sobre Santa Edwiges

Santa Edwiges nasceu em 1174 na Alemanha. Filha de nobres, foi criada em ambiente de luxo e riqueza, o que não a impediu de ser simples e viver com humildade. O seu bem maior era o amor total a Deus e ao próximo.
Aos 12 anos ela se casou com Henrique, príncipe da Silésia (atual região da Polônia), com quem teve seis filhos, sendo que dois deles morreram precocemente. Culta, inteligente e esposa dedicada, ela cuidou da formação religiosa dos filhos e do marido.

Mulher de oração, vivia em profunda intimidade com o Senhor. Submetia-se ao sacrifício de jejuns diários, limitando-se a comer alguns legumes secos nos Domingos, Terças, Quintas e Sábado. Nas Quartas e Sextas-feiras somente pão e água. Isto sempre em quantidade limitada, somente para atender as necessidades do corpo.
No tempo do Advento e da Quaresma, Edwiges se alimentava só para não cair sem sentidos. O esposo não aceitava aquela austeridade. Numa Quarta-feira de Quaresma ele esbravejou por haver tão somente água na mesa sendo que ele só bebia vinho. Edwiges então ofereceu-lhe uma taça, cujo líquido se apresentou como vinho. Foi um dos muitos sinais ou milagres que ela realizou.

Algum tempo depois Edwiges caiu vítima de uma grave enfermidade. Foi preciso que Guilherme, Bispo de Módena, representante do Papa para aquelas regiões, exigisse com uma severa ordem a interrupção de seu jejum. A Santa dizia que isto era mais mortificante do que a sua própria doença.
Dedicou toda sua vida na construção do Reino de Deus. Exerceu fortes influências nas decisões políticas tomadas pelo marido, interferindo na elaboração de leis mais justas para o povo. Junto com o marido construiu Igrejas, Mosteiros, Hospitais, Conventos e Escolas. Por isto, em algumas representações a Santa aparece com uma Igreja entre as mãos.

Aos 32 anos, fez votos de castidade, o que foi respeitado pelo marido. Quando ficou viúva, foi morar no Mosteiro de Trebnitz, na Polônia, onde sua filha Gertrudes era superiora. Foi lá que Edwiges deu largos passos rumo à santidade. Vivia com o mínimo de sua renda, para dispor o restante em socorro dos necessitados. Ela tinha um carinho especial pelas mulheres e crianças abandonadas. Encaminhava as viúvas para os conventos onde estariam abrigadas em casos de guerra e as crianças para escolas, onde aprendiam um ofício. Era misericordiosa e socorria também os endividados. Em certa ocasião, quando visitava um presídio, ela descobriu que muitos ali se encontravam porque não tinham como pagar as suas dívidas.

Desde então, Edwiges saldava as dívidas de muitos e devolvia-lhes a liberdade. Procurava também para eles um emprego. Com isto eles recomeçavam a vida com dignidade, evitando a destruição as famílias em uma época tão difícil como era aquela do século 13. E ainda mantinha as famílias unidas.

Assim, Santa Edwiges, é considerada a Padroeira dos pobres e endividados e protetora das famílias.
Sua morte ocorreu no dia 15 de outubro de 1243.
E foi canonizada no dia 26 de março de 1267, pelo papa Clemente 4º.
Como no dia 15 de Outubro celebra-se Santa Tereza de Ávila, a comemoração de Santa Edwiges passou para o dia 16 de Outubro.
Modelo de esposa, celibatária e viúva, a Santa não faltava à Missa aos Domingos, e isto ela pede aos seus devotos: mais amor a Jesus na Eucaristia e auxílio aos necessitados.

16 de outubro - Santo do dia


Santa Edwiges

NOVENA DE DEVOÇÃO A SANTA EDWIGES

Padroeira dos Endividados

Todos os dias

1 – SINAL DA CRUZ
Em nome do Pai, do filho, e do Espírito Santo. Amém.

2 – ORAÇÃO AO ESPÍRITO SANTO

Espírito santo consolador, aperfeiçoe em nós a obra que Jesus começou. Tornai forte e continua a oração que fazemos em nome do mundo inteiro. Apressai para cada um de nós aos tempos de uma profunda vida interior.

Impulsionai o nosso apostolado que deseja atingir todos os homens. Tudo seja grande em nós: a busca e o culto da verdade; a prontidão ao sacrifício até a cruz e a morte; e tudo enfim corresponda à oração sacerdotal de Jesus ao Pai celeste e aquela efusão que de vós, espírito de amor, o Pai e o Filho irradiam sobre a igreja e sobre as suas instituições, sobre cada pessoa e sobre os povos.

Amém, amém. Aleluia, aleluia!

Papa João XXIII

3. ORAÇÃO A SANTA EDWIGES I

Protetora dos Pobres e Endividados Vós, Santa Edwiges, que fostes na terra amparo dos pobres e desvalidos, socorro dos endividados, no Céu, onde gozais o eterno prêmio da caridade que praticastes, confiante vô-lo peço, sêde a minha advogada, para que eu obtenha de Deus a graça _____________ (diz-se a graça que deseja receber) e por fim a graça da Salvação eterna.
Assim seja

1º Dia

4. PALAVRA DE DEUS

Salmo 10

Deus não se esquece dos pobres
Javé, por que ficas longe, e te escondes no tempo da angústia?
A soberba do injusto persegue o infeliz. Foquem presos nas tramas que planejaram!
O injusto se gloria da própria ambição, o avarento maldiz e despreza a Javé!
O injusto é soberbo, jamais investiga,

_ “Deus não existe!” _ é tudo o que pensa.
Suas empresas têm sucesso em todo tempo. Tuas normas estão longe da mente dele, e ele desafia os adversários todos. E pensa: “Eu sou inabalável”.
Fraude e astúcia lhe enchem a boca, sob sua língua existe maldade e opressão. Fica de emboscada entre os juncos e massacra o inocente às escondidas. Com os olhos ele espreita o inocente. De tocaia, bem oculto, como leão no covil, ele se embosca para apanhar o pobre: agarra o pobre e arrasta em sua rede.
Ele espreita, se agacha, se encurva.
E o indefeso cai em seu poder.
E pensa: “Deus se esquece, e cobre a face para não ver até o fim!”
Levanta-te, Javé! Ergue a tua mão!
Não te esqueces dos pobres!
Porque o injusto desprezaria a Deus, pensando que não investigas?
Mas tu vês a fadiga e o sofrimento, e observas para toma-los na mão: a ti se abandona o indefeso para o órfão tu és um socorro.
Quebra o braço do injusto e do malvado e procura sua maldade: não a encontras!
Javé, tu ouves o desejo dos pobres, fortaleces o coração deles e dá-lhes ouvidos, fazendo justiça ao órfão e ao oprimido, para que no homem terreno já não infunda o terror.

5. VOZ DO PAPA

“Assim como o corpo humano tem necessariamente fome de pão e sede de água, para não cair na exaustão, o espírito humano, criado à imagem e semelhança de Deus, tem sede de Deus:” Minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo “(SI 41-42,2)”.

JOÃO PAULO II, na cidade de Natal (RN), no dia 13 de outubro de 1991.

Momento de silêncio e reflexão

Todos os Dias

6. LADAINHA DE SANTA EDWIGES

Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.


Deus, Pai do Céu, tende piedade de nós.
Deus Filho, redentor do mundo, tende piedade de nós.
Deus Espírito Santo, tende piedade de nós.
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós.
Santa Maria, rogai por nós.
Santa mãe de Deus, rogai por nós.
Santa Virgem das virgens, rogai por nós.


Santa Edwiges, rogai por nós.Exemplo de vida cristã, rogai por nós.
Fiel discípula do Crucificado, rogai por nós
Particular serva da Mãe de Deus, rogai por nós.
Santa Edwiges, abrasada do amor divino, rogai por nós.
Santa Edwiges, modelo de oração confiante, rogai por nós.
Santa Edwiges, abençoada por cristo, da cruz, rogai por nós.
Santa Edwiges, transbordante de amor pela santa missa, rogai por nós.
Santa Edwiges, diligente leitora da sagrada escritura, rogai por nós.
Santa Edwiges, dedicada à santa vontade de deus, rogai por nós.
Santa Edwiges, purificada por provação e tentação, rogai por nós.
Santa Edwiges, forte na tristeza e na opressão, rogai por nós.
Santa Edwiges, sempre cheia de gratidão para com Deus, rogai por nós.
Santa Edwiges, penitente estrênua, rogai por nós.
Santa Edwiges, pobre de espírito no meio do fausto e esplendor, rogai por nós.
Santa Edwiges, devotada a Deus na morte do vosso filho, rogai por nós.
Santa Edwiges, modelo de esposa cristã, rogai por nós.
Santa Edwiges, mão e mestra piedosa da vossa prole, rogai por nós.
Santa Edwiges, modelo e proteção dos noivos, rogai por nós.
Santa Edwiges, protetora da família cristã, rogai por nós.
Santa Edwiges, mãe dos pobres, rogai por nós.
Santa Edwiges, irmã dos humildes e simples, rogai por nós.
Santa Edwiges, auxiliadora da viúvas e órfãos, rogai por nós.
Santa Edwiges, serva dos doentes e leprosos, rogai por nós.
Santa Edwiges, libertadora dos prisioneiros, rogai por nós.
Santa Edwiges, auxílio dos endividados, rogai por nós.
Santa Edwiges, intercessora da paz entre os homens, rogai por nós.
Santa Edwiges, gloria da santa Igreja, rogai por nós.
Santa Edwiges, agraciada com a morte celestial, rogai por nós.
Santa Edwiges, glorificada com inúmeros milagres, rogai por nós.
Santa Edwiges, proclamada no número dos eleitos, rogai por nós.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, perdoai-nos, Senhor!
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, ouvi-nos, Senhor!
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós, Senhor!
-Rogai por nós, Santa Edwiges.
-Para quem sejamos dignos, das promessas de Cristo

7 . ORAÇÃO DA LADAINHA

Deus, que nos presenteias tanto com a graça como com a glória, mostrai-nos a força da vossa bondade. Nós não temos, aqui, morada permanente, por isso buscamos a mansão futura. Concedei-nos alcançar as alturas celestiais, onde santa Edwiges intercede por nós. Nós vo-lo pedimos por Jesus Cristo, nosso senhor, que convosco vive e reina por todos os séculos. Amém.

8. ORAÇÃO DE SANTA EDWIGES II

Santa Edwiges, vós que na terra fostes o amparo dos pobres, a ajuda dos desvalidos e socorro dos endividados, e no céu agora desfrutais do eterno prêmio da caridade que em vida praticaste, suplicante vos peço que sejais a minha advogada, para que eu obtenha de Deus o auxílio de que urgentemente preciso FAÇA SEU PEDIDO. Alcançai-me também a suprema graça da salvação eterna. Santa Edwiges, rogai por nós. Amém.

9. ORAÇÃO A SANTA EDWIGES III

Ó grande Santa Edwiges, passastes a vida ajudando e amparando os pobres. Agora, no céu, intercedei pelos abandonados, socorrei os endividados que não sabem como saldar seus compromissos. Sois a minha advogada junto a Deus: rogai por mim. Eu preciso tanto desta graça FAÇA SEU PEDIDO. Acima de tudo, eu vos peço: rogai a Deus por mim, para que eu saiba perdoar a quem me ofendeu, e que eu só espalhe, por onde passar, o profundo sentimento cristão de saber perdoar.

10. ORAÇÃO CONCLUSIVA

Nós vos pedimos, ó Deus onipotente, que a intercessão de Santa Edwiges nos obtenha a graça de imitar o que nela admiramos, pois a humildade da sua vida serve de exemplo para todos. Por nosso senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do espírito Santo Amém.

Rezar 1 Pai Nosso, 10 Ave-marias, 1 Glória ao Pai

Terminar com o Sinal da Cruz

2º Dia

3. PALAVRA DE DEUS

Salmo 13

Até quando Javé?
Javé, até quando me esquecerás? Para sempre?

Até quando esconderás de mim a tua face?

Até quando terei sofrimento dentro de mim, e tristeza no coração, dia e noite?

Até quando meu inimigo vai triunfar?

Atenção, Javé, meu Deus!

Responde-me!

Ilumina meus olhos, para que eu não adormeça na morte.

Que meu inimigo não diga: “Eu venci!” e meus opressores não exultem com meu fracasso.

Quanto a mim, eu confio no teu amor!

Meu coração exulta com a tua salvação.

Vou cantar a Javé por todo bem que ele me fez!

4 – A VOZ DO PAPA

“O sacerdote, para exercer com fruto seu ministério, tem necessidade de permanecer unido à videira de onde brota a vida (CF.Jô 15,5). Tem necessidade vital de se unir a Cristo mediante uma intensa vida eucarística; de se renovar interiormente, numa contínua conversão, pela freqüência recepção pessoal do sacramento da reconciliação; de se entregar, mesmo que sejam múltiplas as suas atividades, ao silêncio da adoração, da meditação, da oração”.

JOÃO PAULO II, na cidade de Natal (RN), no dia 31 de outubro de 1991.

Momento de silêncio e reflexão

3º Dia

3 – PALAVRA DE DEUS

Salmo 121

Deus é o guarda do seu povo

Ergo os olhos para os montes: de onde virá o meu socorro?

O meu socorro vem de javé, que fez o céu e a terra.

Ele não deixará que o seu pé tropece, o seu guarda jamais dormirá!

Sim, não dorme nem cochila o guarda de Israel.

Javé guarda você sob a sua sombra, ele está à sua direita.

De dia o sol não ferirá você, nem a lua de noite.

Javé guarda você de todo o mal, ele guarda a sua vida.

Javé guarda suas entradas e saídas, desde agora e para sempre.

4. A VOZ DO PAPA

“Quando o homem se deixa arrastar pelas próprias paixões, para sustentar sua anciã de prazer, de posse, de dominação e de bem-estar _ movido por desenfreado egoísmo _, compreende-se o alcance das palavras do profeta:” Ai de vós que ajuntais casa a casa, que acrescentais campo a campo, até que não haja mais lugar e que sejais os únicos proprietários da terra “(Is 5,8). E quando tem tudo isto, não pensa mais a não ser no próprio descanso, no conforto, esquecendo-se de que nada disto aproveita, pois _ como diz Jesus _” não é rico para Deus “(Lc 12,21). Torna-se, assim, injusto desrespeitando aqueles que têm iguais direitos, tanto da propriedade como dos frutos da terra”.

JOÃO PAULO II, na cidade de são Luís (MA), no dia 14 de outubro de 1991.

Momento de silêncio e reflexão

4º Dia

3. PALAVRA DE DEUS

Salmo 123

Tem compaixão de nós!

Para ti eu levanto os meus olhos, para ti, que habitas no céu. Como os olhos dos escravos, fixos nas mãos da sua senhora, assim estão os nossos olhos fixos em Javé, nosso Deus, até que se compadeça de nós.

Compaixão, Javé! Tem compaixão de nós porque estamos fartos de desprezo! Nossa vida esta farta por demais do sarcasmo dos satisfeitos e do desprezo dos soberbos.

4. A VOZ DO PAPA

“A Igreja vê e verá sempre o diálogo entre os homens, como instrumento indispensável, para que se possam reconhecer a verdade que , iluminada pela mensagem de Cristo, tornou-os capazes de descobrir no próximo, não só u irmão, mas um filho de deus. Por isso, não deixará ela de conclamar sempre as nações mais desenvolvidas a um maior compreensão, para que não se eximam da sua responsabilidade de ajudar aqueles países que, por si sós, não alcançariam um grau de desenvolvimento justo e razoável, a níveis condizentes com a dignidade humana”.

JOÃO PAULO II, na cidade de Brasília (DF), no dia 14 de outubro de 1991.

Momento de silêncio e reflexão

5º Dia

3. PALAVRA DE DEUS

Salmo 130

O perdão que liberta

Das profundezas eu clamo para ti, Javé: Senhor, ouve o meu grito!

Que os teus ouvidos estejam atentos ao meu pedido por graça!

Javé, se levas em conta as culpas, quem poderá resistir?

Mas de ti vem o perdão, e assim infundes respeito.

Minha alma espera em Javé, espera em sua palavra.

Minha alma aguarda o senhor, mais que os guardas pela aurora.

Mas que os guardas pela aurora, aguarde Israel e Javé.

Pois de Javé vêm a graça e a redenção em abundância. Ele vai redimir Israel de todas as suas culpas.

4. A VOZ DO PAPA

“Sem a fé é impossível agradar a Deus . Sem a fé não é possível que a vida humana seja semelhante à de Deus. No entanto, está é a vocação do homem. Disto depende seu bem a sua felicidade, não só temporal, mas eterna.

Deus, que criou o homem à sua imagem e semelhança, dele espera que seja realmente semelhante a ele. Deus que ele, como Abel, lhe ofereça o sacrifício dos frutos da fé e das boas obras. Deus espera que o homem se torne herdeiro daquela justiça que o evangelho lhe ensina, justiça merecida por cristo Crucificado, por Cristo Ressuscitado, para a redenção dos pecados. Ao homem é concedida a justiça de Cristo, o primogênito de toda criatura (Cl 1,15), através da fé peregrina em direção à terra prometida, a vida eterna em união com Deus

Maria, a primeira que acreditou, a estrela da nova evangelização, invocada em todo o Brasil como Nossa Senhora da conceição Aparecida, Maria seja o modelo, seja a educadora da fé para os brasileiros, para os cristãos comprometidos na construção da nova sociedade. Seja o modelo e a educadora da fé. Nossa senhora Aparecida, padroeira do Brasil “.

JOÃO PAULO II, na cidade de Brasília (DF), no dia 15 de outubro de 1991.

Momento de silêncio e reflexão

6º Dia

3. PALAVRA DE DEUS

Salmo 138

Deus olha o humilde

Eu te agradeço, Javé de todo o meu coração. Na presença dos anjos eu canto para ti. Eu me prostro em direção ao teu santuário, e agradeço ao teu nome, por teu amor e fidelidade, pois a tua promessa supera a tua fama.

Quando eu gritei, tu me ouviste, e aumentaste a força em minha alma. Todos os reis da terra te agradeçam, Javé, pois eles ouvem as promessas de tua boca. Cantem os caminhos de Javé, porque a glória de javé é grande!

Javé é sublime, mas olha para o humilde, e conhece de longe o soberbo.

Quando eu caminho entre perigos, tu me conservas a vida.

Estendes o braço contra a ira do meu inimigo, e a tua direita me salva. Javé fará tudo por mim. Javé, o teu amor é para sempre!

Não abandones a obra de tuas mãos!

4. A VOZ DO PAPA

“Quem nos separará do amor de Cristo? (Rm 8,35)”.

São Paulo faz esta pergunta aos primeiros cristãos, a homens que com freqüência padeciam tribulações em meio aos mais diversos perigos e perseguições, chegando até mesmo a perder a própria vida.

No entanto, responde o apóstolo, nada disso é capaz de nos separar do amor de Cristo. Ao contrário: em todas as estas coisas saímos mais que vencedores pela virtude daquele que nos amou (RM 8,37).

Eis realmente uma Boa Nova, também para os homens de hoje que padecem injustiças, enganos e ameaças de morte por defenderem causas nobres.

O que nos pode separar do amor de Deus?

Somente nossa falta de amor é que poderá separar-nos, o egoísmo, a indiferença, a falta de sensibilidade, a cobiça. Esses são os inimigos de nossa salvação. São eles que nos julgarão diante do tribunal do filho do Homem, e pronunciarão contra nós a sentença. Talvez agora a estejam pronunciando na voz interior da consciência. Que fazer no caso da consciência surda e insensível?

Dia virá em que ele se fará ouvir, quando não mais poderá calar-se, quando se encontrar face a face com a majestade do filho do homem, do redentor do mundo crucificado e ressuscitado.

Que o amor vença em nós. Que vença na nossa vida social em todas as suas dimensões. Possa cada um de nós, ao menos uma vez, ouvir estas palavras do Filho do Homem: Na verdade vos digo: todas as vezes que fizestes isto a um desses meus irmãos mais pequenino, a mim o fizestes ““.

JOÃO PAULO II, na cidade de Cuiabá (MT), no dia 16 de outubro de 1991.

Momento de silêncio e reflexão

7º Dia

3 – PALAVRA DE DEUS

Salmo 140

Tu és o meu Deus!

Javé, salva-me do homem perverso, defenda-me do homem violento. Eles planejam o mal em seu coração e a cada dia provocam brigas. Afiam a língua como serpentes, e sob seus lábios existe veneno de víbora. Javé, defende-me das mãos do injusto, guarda-me do homem violento. Eles planejam tropeços para os meus passos. Os soberbos me preparam armadilhas, os perversos me estendem uma rede e me colocam ciladas no caminho.

Mas eu digo a Javé: “Tu és meu Deus”. Javé, ouve a minha voz suplicante! Senhor Javé, meu forte salvador, tu me cobres a cabeça no dia da batalha! Javé, não aproves os desejos dos injustos, não favoreças os planos deles!

Que os que me cercam não levantem a cabeça. Que a maldade de seus próprios lábios os recubra!

Chovam sobre eles brasas acesas. Caiam em abismos e não consigam levantar-se!

Ouve o caluniador não se afirme sobre a terra, e que o mal persiga o violento até a morte!

Eu sei que Javé faz justiça ao pobre e defende o direito dos indigentes. Os justos louvarão o teu nome, e os retos viverão na tua presença.

4. A VOZ DO PAPA

“Deus é o Deus da vida. Só ele é o senhor da vida e da morte. É preciso agradecer vida como um dom divino, e lutar para que não haja nunca, por motivo algum, ações que signifiquem um desrespeito à vida própria ou à de outros, sejam eles homens ou mulheres, adultos ou crianças. Nenhum ser humano tem o direito de atentar contra a própria vida ou a de seu irmão. A vida é um dom de Deus!”.

JOÃO PAULO II, na cidade de Cuiabá (MT), no dia 16 de outubro de 1991.

Momento de silêncio e reflexão

8º Dia

3. PALAVRA DE DEUS

Salmo 145

Deus merece o louvor

Eu te exalto, meu Deus, meu rei, e bendigo o teu nome para sempre e eternamente. Vou te bendizer todos os dias e louvar o teu nome para sempre e eternamente.

Grande é Javé! Ele merece todo o louvor. É incalculável a sua grandeza. Uma geração apregoa tuas obras para a outra, proclamando as tuas façanhas.

Tua fama é esplendor de glória: eu cantarei o relato das tuas maravilhas. Falarão do poder dos teus terrores, e eu cantarei a tua grandeza. Difundirão a lembrança da tua bondade imensa, e aclamarão a tua justiça.

Javé é piedade e compaixão, lento para a cólera e cheio de amor. Javé é bom para todos, compassivo com todas as suas obras. Que tuas obras todas te agradeçam, Javé, e teus fiéis te bendigam. Proclamem a glória do teu reino e falem das tuas façanhas, para anunciar tuas façanhas aos homens, e majestade gloriosa do teu reino.

Teu reino é reino para os séculos todos, e teu governo para gerações e gerações. Javé é fiel às suas palavras, amoroso em todas as suas obras. Javé ampara todos os que caem em endireita todos os encurvados. Em ti esperam os olhos de todos, e no tempo certo tu lhes dás o alimento. Abres a mão, e sacias a vontade todo ser vivo. Javé é justo em seus caminhos todos, e fiel em todas as suas obras.

Ele está perto de todos aqueles que o invocam, de todos os que o invocam sinceramente. Ele realiza o desejo dos que o temem, ouve o grito deles e os salva.

Javé guarda todos os que o amam, mas vai destruir todos os injustos. Minha boca pronuncie o louvor de Javé, e todo ser vivo bendiga seu nome santo, para sempre e eternamente!

4 A VOZ DO PAPA

“Temos que descobrir a Cristo que vai ao encontro dos nossos irmãos e irmãs. Nenhuma vida humana é uma vida isolada, mas entrelaça-se com as outras vidas nenhuma pessoa é um verso solto. Fazemos parte do mesmo poema divino, que Deus escreveu com o concurso da nossa liberdade”.

JOÃO PAULO II, na cidade de Campo Grande (MS), no dia 17 de outubro de 1991.

Momento de silêncio e reflexão

9º Dia

3. PALAVRA DE DEUS

Salmo 147

É bom louvar a Deus

Aleluia!

Louvem a Javé, pois é bom cantar.

O nosso Deus merece harmonioso louvor.

Javé reconstrói Jerusalém, reúnem os exilados de Israel. Cura os corações despedaçados e cuida dos seus ferimentos.

Ele conta o número das estrelas, e chama cada uma pelo nome. Nosso Senhor é grande e poderoso, e a sua sabedoria é sem medida. Javé sustenta os pobres e rebaixa os injustos até o chão. Entoem o agradecimento a Javé, cantem ao nosso Deus com a Harpa.
Ele cobre o céu com nuvens, preparando a chuva para a terra. Faz brotar erva sobre os montes e plantas úteis ao homem. Fornece alimento para o rebanho, e aos filhotes do corvo, que grasnam.
Ele não se compraz com o vigor do cavalo, nem aprecia os músculos do homem. Javé aprecia aqueles que o temem, aqueles que esperam por seu amor. Glorifique a Javé, Jerusalém, louve o seu Deus, ó Sião.
Ele reforçou as trancas de sua porta, abençoou os filhos de vocês em seu seio. Colocou paz em suas fronteiras, saciou você com a flor do trigo.
Ele envia suas ordens a terra, e sua palavra corre velozmente. Faz cair à neve como lã, e espalha a geada com cinza.
Ele atira seu gelo em migalhas e congela as águas com o frio. Ele envia sua palavra a Jacó, seus estatutos e normas a Israel. Com nação nenhuma agiu desse modo, e nenhuma conheceu as normas dele.

Aleluia!

4 A VOZ DO PAPA

“O que é bonito em vocês, crianças, é que cada um olha as outras crianças e dá as mãos, sem fazer diferença de cor, de condição social, de religião”.

Vocês dão as mãos umas às outras.

Tomara que os grandes fizessem também como vocês e acabassem com toda discriminação.

Só assim o mundo poderia encontrar a paz.

Vocês querem a paz no mundo?

Vocês querem um mundo em paz?

Não pode nem deve haver crianças abandonadas. Nem crianças sem lar. Nem meninos e meninas de rua. Não pode nem deve haver crianças usadas pelos adultos para a imoralidade, para o tráfico de drogas, para as pequenas e grandes infrações, pra a prática do vício. Não pode nem deve haver crianças amontoadas em centros de triagem e casas de correção, onde não conseguem receber uma verdadeira educação. Não pode nem deve haver _ é o Papa quem pede e exige em nome de Deus e de seu Filho Jesus, que foi criança também _ não pode nem deve haver crianças assassinadas, eliminadas sob pretexto de prevenção ao crime, marcadas para morrer! ”.

JOÃO PAULO II, na cidade de Salvador (BA), no dia 20 de outubro de 1991.

Momento de silêncio e reflexão